sábado, 31 de janeiro de 2015

Especial

7 ANOS SEM BETO CARRERO
EMPRESÁRIO FALECEU EM 2008

1° de fevereiro de 2008.
O dia amanheceu com a notícia da morte prematura e inesperada de um grande ídolo do circo brasileiro. João Batista Sérgio Murad não resistiu à uma cirurgia cardíaca. Estava internado no Hospital Sírio Libanês e, antes da cirurgia, fazia planos de abrir mais um circo. Morria o empresário, o mito, o herói. Sua morte mudou a vida de muita gente.
Menino pobre, Beto Carrero nasceu em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Seu pai, Alexandre Murad trabalhava em uma fazenda, e tinha o apelido de Alexandre Carrero, por conduzir um carro de bois que transportava pessoas e cargas. Nesta época, Beto já sonhava em ser o Zorro.
Foi em homenagem à seu pai, que João Batista se tornou Beto Carrero. Com facilidade para se comunicar, logo ele descobriu sua veia publicitária e, mesmo adolescente, criou um programa de rádio.
Em 1955, tentou ser cantor, mas fracassou. Depois, estreou o Programa Beto Carrero, que reunia música sertaneja e humor, onde contava causos com Dino Santana. Em 1958, passou a ser corretor de anúncios no jornal Folha de São Paulo. Já nos anos 70 a veia publicitária falou mais alto e o empresário liderou a conta de grandes empresas, como o Leite de Aveia Davene e as toalhas Buettner, estrelada por Tônia Carrero. Mas mesmo dedicando-se à publicidade, Beto também agenciava artistas. Logo após, sua paixão pela arte falou mais alto e ele começou a fazer negócios com circos. Montou uma troupe de artistas e começou a percorrer as cidades brasileiras com os circos, apresentando a saga de Beto Carrero, um caubói tipicamente brasileiro, um personagem que amava os animais e defendia os oprimidos. Fez amizades com grandes nomes como Xuxa, Renato Aragão, Sílvio Santos e Gugu. Foi inclusive, produtor dos Trapalhões. Desde pequeno, Beto Carrero gostava de parques e ajudava a montar os parques que apareciam na cidade onde morava em troca de ingressos. Mas foi durante uma viagem à Disney World que Beto se encantou com os parques temáticos.
Visionário, começou a comprar terras em Santa Catarina, sem dizer a finalidade. Beto acreditava no potencial daquela região, apesar de alguns amigos discordarem. Anos depois nascia Beto Carrero World. No começo, eram poucos brinquedos e alguns shows de baixo de diferentes lonas de circo. Mas com o marketing pesado, o sucesso foi tanto que logo o empreendimento deslanchou e se tornou um dos principais pontos turísticos do país. Após sua morte, Alex Murad, seu filho, mudou a linha do parque. Fechou áreas temáticas e retirou quase todos os shows circenses. No passeio do trenzinho, onde o heróis salvava os passageiros dos bandidos, atualmente nem seu nome é mencionado. Quem defende os passageiros e expulsa os bandidos é o delegado do condado. 
Beto chegou a ter 5 circos itinerantes simultaneamente. Idealizou um novo modelo de circo no Brasil, com mais conforto, luxo, grandes estruturas tencionadas e números com produções mais elaboradas. Trouxe do exterior atrações diferentes do que os brasileiros estavam acostumados a ver. Participava dos principais programas de televisão de todas as emissoras. Criou o Comando Maluco, que tinha Dedé Santana como astro principal a foi vice líder de audiência.
Aos 70 anos, sofria de endocardite infecciosa e faleceu durante uma operação, por choque cardiogênico. Seu velório reuniu milhares de pessoas e durante o enterro, uma chuva de granizo caiu sobre a região do parque temático.
Para seus fãs, admiradores e antigos funcionários, Beto Carrero será sempre lembrado como um grande herói.


6 comentários:

Alexandre Albuquerque disse...

Com certeza foi um grande homem, grande empreendedor e amante da arte circense. Precisamos de mais gente como o Beto que acredita no potencial do circo brasileiro...

Alexandre Albuquerque disse...

Com certeza foi um grande homem, grande empreendedor e amante da arte circense. Precisamos de mais gente como o Beto que acredita no potencial do circo brasileiro...

Anônimo disse...

quando os circos mais precisaram dele, ele virou as costas que foi nas questão dos animais, alias ele saiu lucrando muito com essa questão, por que agora o povo paga para ver os animais no parque dele, para mim ele eo marcos frota nunca foram representantes dos circos, so usaram os circos para fazerem dinheiro.

sergio robattini disse...

Saudades

sergio robattini disse...

Homem de ferro saudades

velharada puxa saco do beto carrero disse...

Fala um q trabalho no beto carrero q ta bem ??? Todos tem trailer velho e carro velho ate hj esse sim explorava o pessoal so trabalhava la pelo status mesmo e se vc for homem publica ai strappa